sexta-feira, 16 de julho de 2010

E o "Prêmio Eguinha Pocotó" vai para...

Saudações, leitores do Cult. Hoje, resolvi falar sobre o contra-cult, algo que vai de total oposto ao objetivo deste blog. Dizem que existem coisas que de tão ruins que são, viram boas. É tão ruim, mas tão ruim, que ultrapassa a linha do mau-gosto e se transforma em kitsch. O problema, neste caso, é a tenuidade desta linha, que pode fazer o kitsch voltar a ser mau-gosto em uma fração de segundos.

Esta bagatela de conceitos filosóficos sobre beleza e bom-gosto se enquadram perfeitamente na música. E a música brasileira está cheio de kitschs. E mais cheia ainda do mais profundo mau-gosto, resultado de composições com o claro objetivo comercial, sem preocupações com conteúdo. E o pior de tudo: você vai ouvi-las uma, duas vezes, e ela não sairá mais de sua cabeça.

Aqui, o Prêmio Eguinha Pocotó das piores letras vem com alguns de seus representantes máximos:

1. Eguinha Pocotó
A primeira, claro, tinha de ser a própria. Agora sem trema, por conta da nova ortografia. A letra é uma ode. Remete à relação do "eu-lírico" com seu equino. Transpira sentimento, lirismo, ao cantar: "Vou mandar um beijinho / pra filhinha e pra vovó / só não posso esquecer / da minha eguinha pocotó / Pocotó, pocotó, pocotó, pocotó / Minha eguinha pocotó". Além de tudo, é uma exaltação à família. Tem coisa melhor?

2. Vai, Lacraia


Quase um pout-pourri da primeira, é uma exaltação à figura feminina (?!) do dançarino híbrido que, junto com o Mc Qualquer Coisa entoava a canção. A letra é de tal profusão que seu único verso lembrável é o "Vai lacraia, vai lacraia!".

3. Morango do Nordeste

O sucesso mastodôntico de Lailton dos Teclados, na voz de Frank Aguiar, é a maior representação da arte dadaísta que, segundo a definição de Tristan Tzara, seria uma montagem de palavras tiradas aleatoriamente de um saco. A letra do "Morango" é isto. Não existe encadeamento entre os versos, tampouco um sentido total. Começa como referência a uma suposta nave espacial ("Estava tão distante quando ela apareceu...") e prossegue como uma música romântica de bar da esquina ("Meus amigos falam que eu sonho demais / Mas é somente ela que me satisfaz"). E termina com uma referência à violência entre países ("Com essa mulher eu vou até pra guerra!"). Ou seja, a vastidão de conteúdo toma conta.

4. Segura o Tchan

Sucessão dos anos 90, com a então banda Gera Samba (posterior É o Tchan, com o sucesso blockbuster do jingle), marcou com sua letra de duplo (e, às vezes, até triplo) sentido. Olha o tom da coisa: "Tudo que é perfeito a gente pega pelo braço / Joga lá no meio, mete em cima, mete em baixo / E depois de nove meses você vê o resultado". Toda trabalhada na sensualização.

5. Lá vem o Negão
O grupo Cravo e Canela gravava esta composição que também exaltava o lirismo em torno da sensibilidade masculina frente às mulheres. Veja como a letra é uma representação clara da vassalagem amorosa: "Lá vem o negão / Cheio de paixão / Te catar, te catar, te catar". Sensibilidade - e principalmente timidez - do Negão a toda prova.

6. Eu sou Stefhany

Essa é uma representante piauiense em nosso seletíssimo grupo. Famosa por sua versão abrasileirada de um enlatado americano, Stefhany ficou famosa com seu vídeo na Internet, chegando a participar de programas como o Caldeirão do Huck e do Superpop (gente, pára tudo!). O tom da música é de "ode a mim mesmo". Veja só: "Eu sou linda / Absoluta / Eu sou Stefhany... / No meu Cross Fox / Eu vou sair / Vou dançar / Me divertir" E vai embora. Vruuuum....

7. Dança do Créu
Herdeira em estilo da Eguinha Pocotó, o Créu foi a sensação de 2008. MC Créu e suas mulheres-fruta fizeram escola com sua letra profundamente sexualizada. Uma pergunta... alguém, na prática, já chegou à velocidade 5?

8. Chupa que é de uva
Tosqueira toma conta quando a ideia é fazer a coisa com conotação sexual. Dessa vez, o buraco foi, literalmente, mais embaixo. O conteúdo do sucesso entoava: "Na sua boca eu viro fruta / Chupa que é de uva / Chupa, chupa, chupa que é de uva". Enfim, a pureza e castidade letrificadas. Não suficiente, fizeram uma segunda versão, alterando a posição. Agora o tom era de "Senta que é de menta". E eu pra aguentar...

9. Rebolation
Essa é saída do forno. Ou não. Quer dizer, sei lá. Esse mundo de letras sem nexo é muito volúvel. Enfim... o Parangolé ganhou o Brasil com seu Rebolation. A letra tem, no máximo, dez palavras, dentre as quais a repetida 1.942.725 vezes bem contadas é "Rebolation-tion... rebolation-tion..." E a galera lá, dançando.

10. Dança da Bundinha


Não podia faltar, né? É uma música sinestésica. Quem se lembra da letra quando a imagem que se vem na cabeça é do dourado bumbum de Carla Peres no close das câmeras de Gugu, Faustão e cia., nos idos de 99, 2000? Mas tinha letra, ou algo que arremedasse. Era algo como "Bota a mão no joelho / Dá uma abaixadinha / Mexe, mexe, gosto / Com a mão na bundinha".

Discussões à parte sobre o que é essência e o que é aparência, acho que estas músicas conseguiram atingir o difícil patamar de unanimidade. Eram ruins, ponto. Acredito que seus próprios compositores e intérpretes saibam disso. Se alguém perguntar para eles o que acham disso, diriam: "Mas vendeu, não vendeu". Vendeu. E que sentido tinha aquilo tudo. "E eu sei?", diria o autor. É duro notar que a mesma MPB de Dalva de Oliveira, Emilinha Borba, Chico Buarque, Lenine e cia. criou tais aberrações...

Enfim, está montado nosso top 10. Faltou algo? Comente e poste. Estamos abertos aos comentários. E viva à (falta de) qualidade da música brasileira!

6 comentários:

  1. Deve ter sido complicado decidir quem ficaria no topo dessa lista, hein? São todas tão ruins... Agora essa do Lá vem o negão me lembra um comercial velhão do Milkybar: o bonequinho de chocolate dançando e cantando essa música [acho que com umas pequenas alterações na letra]. Odiava muito!

    ResponderExcluir
  2. E ai Fábio, beleza?
    Cara só pra te dar um toque, a EGUINHA POCOTÓ e LACRAIA são a mesma musica (opa, quero dizer a mesma coisa) a 2 ª é um lindo refrão da 1ª, rsrsrs.
    Abraço, Fernando carvalho

    ResponderExcluir
  3. Espero que todos citados morram!!! Hahahhahahaha

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que isso passa logo,se não estaríamos perdidos,kkkk

    ResponderExcluir
  5. irmãos não ouse em julgar seu próximo, falar demais e tolice, crea NO FILHO DE DEUS E SARÁS SALVO, JESUS CRISTO NOSSO SALVADOR...........................................

    ResponderExcluir
  6. faltou o célebre e grande convite imortalizado de todas as festas "outnotion": Hoje é festa lá no meu apê/ Pode aparecer? vai rolar BUNDA-LELÊ.. seria uma espécie de junção com a melodia dos escravos? lele-lele-lele-lele-lele?
    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir